quarta-feira, 25 de março de 2009

David Gates

David Gates

David Gates fazia parte da banda Bread como vocalista e também tocava teclados. Nasceu em Tulsa, OKlahoma em 11 de dezembro de 1940. Sempre esteve rodeado pela música, sendo excelente pianista, baixista e guitarrista durante a escola secundária. Em 1957, ele teve seu primeiro sucesso, "Jo-Baby", gravada por Chuck Berry. David a escreveu para sua namorada Jo Rita, com quem ele se casou e teve filhos enquanto estavam na Universidade de Oklahoma. Em 1961 se mudou com a família para Los Angeles, e David iniciou uma carreira como compositor e produtor. No final dos anos 60 trabalhou com Elvis Presley, Bobby Darin , Merle Haggard e produziu em 1965 o hit de Glenn Yarborough. "Baby, The Rain Must Fall".
David Gates criou o "Bread" em 1968 e do grupo faziam parte David Gates, James Griffin, Robb Royer e mais tarde o baterista Michael Botts e o tecladista Larry Krechtel. O "Bread" acabou se separando e seus integrantes seguiram carreira solo em diferentes direções. David Gates lançou seus próprios álbuns, "First" e "Never Let Her Go" em 1975, "Goodbye Girl" em 1978, "Falling In Love Again" em 1980, "Take Me Now" em 1981 e "Love Is Always Seventeen" em 1995. Várias de suas cançoes foram gravadas por artistas como Julio Iglesias e Boy George. "Everything I Own", uma homenagem a seu pai que foi a sua maior influência e incentivador, foi gravada por The Kendalls & Joe Stempley de Nashvile. Sua incrível habilidade e versatilidade como compositor o levou por vários gêneros musicais e David Gates continua a escrever e produzir no estúdio de gravação que possui em sua fazenda na Califórnia.

David Gates - 1973 - First

01. Sail Around The World
02. Sunday Rider
03. Soap (I Use The)
04. Suite Clouds, Rain
05. Help Is On The Way
06. Ann
07. Do You Believe He's Comin'
08. Sight & Sound
09. Lorilee

David Gates - 1975 - Never Let Her Go

01. Never Let Her Go
02. Angel
03. Playin' On My Guitar
04. Watch Out
05. Part Time Love
06. Chain Me
07. Light Of My Life
08. Someday
09. Greener Days
10. Strangers

David Gates - 1978 - Goodbye Girl

01. Goodbye Girl
02. Took the Last Train
03. Overnight Sensation
04. California Lady
05. Ann
06. Drifter
07. He Don't Know How to Love You
08. Clouds Suite
09. Lorilee
10. Part Time Love
11. Sunday Rider
12. Never Let Her Go

David Gates - 1980 - Falling In Love Again

01. Can I call you_
02. Where does the lovin' go
03. 20th century man
04. She was so young
05. Silky
06. Falling in love again
07. Starship ride
08. Chingo
09. Sweet desire
10. The rainbow song

David Gates - 1981 - Take Me Now

01. It´s you
02. Take me now
03. She´s a heartbreaker
04. This could be forever
05. Come home for Christmas
06. Still in love
07. Vanity
08. Nineteen on the Richter Scale
09. Lady Valentine
10. It´s what you say

David Gates - 1995 - Love Is Always Seventeen

01. Avenue of love
02. Love is always seventeen
03. Ordinary man
04. I will wait for you
05. Save this dance for me
06. No secrets in a small town
07. Heart, it's all over
08. I don't want to share your lov
09. I can't find the words to say
10. Dear world
11. Thankin' you sweet Baby James

David Gates - 2002 - Songbook - A Lifetime Of Music

01. Make It With You
02. Find Me
03. Baby I'm A Want You
04. I Can't Play The Songs
05. If
06. Love Always Seventeen
07. I Don't Matter To Me
08. The Mustang
09. Everything I Own
10. Mirror Mirror
11. Lost Without Your Love
12. This Could Be Forever
13. Aubrey
14. Sail Around The World
15. Part Time Love
16. Sweet Surrender
17. Goodbye Girl
18. Never Let Her Go
19. Diary
20. The Guitar Man

Informações e Links por email - Aqui

Information and links via email -
Here

domingo, 22 de março de 2009

Pilot

O grupo Pilot foi criado em 1973 na Escócia, fazendo um Pop-Rock típico dos anos 70. Inicialmente era formado David Paton, Billy Lyall e Stuart Tosh. Tempos depois Ian Bairnson se juntou à banda. Lançaram quatro álbuns. Seus maiores sucessos foram "Just a Smile", "January", "Call Me Round" e "Magic".
O nome do grupo surgiu durante a gravação do primeiro álbum, fazendo uma mistura de letras com o sobrenome dos três primeiros componentes. O Pilot teve Alan Parsons como produtor.
A primeira música a tocar no Brasil foi "Canada", lançada em 1976, no álbum Morin Heights, último a ser gravado com a formação original. Talvez não tenha emplacado nas paradas internacionais por ter ficado estranho uma banda escocesa cantar as maravilhas do Canadá.
Em 1977, outra música tocou bastante nas rádios brasileiras: a ótima "Get Up And Go", do álbum Two's A Crowd. Apesar de ser o melhor disco do Pilot, não colocou nenhuma faixa nas paradas de sucesso. Aliás, suas coletâneas não têm sequer uma faixa deste disco, que acabou se tornando o mais raro do grupo.
Em junho passado, Two's A Crowd foi relançado numa edição limitada em CD no Japão, país onde se acha tudo ( ou quase ) em matéria de raridades musicais.
No final dos anos 70, o Pilot se desfez, mas seus membros continuaram na ativa: Ian Bairnson continuou tocando com Kate Bush, Sting, Alan Parsons, Kenny Rodgers e Stanley Clarke; David Paton trabalhou com Elton John, Jimmy Page, Rick Wakeman, Camel, The Alan Parsons Project, entre outros; Stuart Tosh se juntou à banda 10CC; Billy Lyall fez parte do grupo Dollar e faleceu em 1989.


Pilot - 1974 - Pilot
From The Album Of The Same Name

01. Just a Smile
02. Magic
03. Lucky for Some
04. Girl Next Door
05. Lovely Lady Smile
06. Sooner or Later
07. Don't Speak Loudly
08. Over the Moon
09. Never Give up
10. High into the Sky
11. Auntie Iris
12. Sky Blue

Pilot - 1975 - Second Flight

01. You're My No. 1
02. Love Is
03. Call Me Round
04. 55 North 3 West
05. To You Alone
06. Do Me Good
07. Heard It All Before
08. Bad To Me
09. You're Devotion
10. January
11. Passion Piece
12. Dear Artist

Pilot - 1976 - Morin Heights

01. Hold On
02. Canada
03. First After Me
04. Steps
05. The Mover
06. Penny In My Pocket
07. Lies And Lies
08. Running Water
09. Trembling
10. Maniac
11. Too Many Hopes

Pilot - 1977 - Blue Yonder

01. Get Up And Go
02. Library Door
03. Creeping 'round Midnight
04. One Good Reason Why
05. There's A Place
06. I Wonder
07. Monday Tuesday
08. Ten Feet Tall
09. Evil Eye
10. When The Sun Comes
11. Hold Me (Pilot Live In 1975)

Pilot - 1977 - Two's A Crowd

01. Get Up And Go
02. Library Door
03. Creeping 'round At Midnight
04. One Good Reason Why
05. There's A Place
06. The Other Side
07. Monday Tuesday
08. Ten Feet Tall
09. Evil Eye
10. Mr. Do Or Die
11. Big Screen Kill

Pilot - 2004 - A's & B's

Rarities A's

01. Magic
02. Just Let Me Be
03. January
04. Never Give Up
05. Call Me Round
06. Do Me Good
07. Just A Smile
08. Don't Speak Loudly
09. Are You In Love
10. You're My No.1
11. High Into The Sky

Rarities B's

11. Sooner Or Later
12. Lady Luck
13. Dear Artist
14. Running Water
15. First After Me
16. Canada
17. The Mover
18. Penny In My Pocket
19. Steps
20. No Ties No Strings
21. Stop And Let Go

Informações e Links por email - Aqui

Information and links via email -
Here

segunda-feira, 16 de março de 2009

Blue Magic

Blue Magic é um quinteto norte-americano de R&B e soul formado em junho de 1973 na Filadélfia. O grupo era composto por Theodore Mills, Keith Beaton, Wendell Sawyer, Vernon Sawyer e Richard Pratt. A banda notabilizou-se não só por sua performance vocal, mas também pela sua admirável coreografia. O Blue Magic é um dos principais grupos da chamada "Philadelphia Soul", uma variante da soul music norte-americana que teve como principais nomes Harold Melvin & The Blue Notes, The Delfonics, The Intruders, The O'Jays, The Spinners, The Stylistics e The Three Degrees.
Produzido pelo veterano Norman Harris e contando com o suporte da banda de estúdio MFSB (do selo Philadelphia International Records), logo em seu álbum de estréia, lançado em fevereiro de 1974 e que leva o nome da banda, o Blue Magic chegou ao quarto lugar na parada de R&B da Billboard, com canções como "Sideshow" (Top 10 nas 100 mais da Billboard), "Stop To Start", "Just Don't Want To Be Lonely", "Look Me Up" e "Spell".
Ainda naquele ano, o Blue Magic voltou a fazer sucesso com o single "Three Ring Circus", que faria parte do álbum "The Magic Of The Blue", de 1975. Naquele mesmo ano, foi lançado "13 Blue Magic Lane", com destaque para a canção "Chasing Rainbows".
Os álbuns seguintes foram bem-recebidos pela crítica especializada, mas não tiveram o mesmo sucesso comercial dos anteriores e o grupo afastou-se das paradas norte-americanas. A derrocada veio na década seguinte, quando Ted Mills e Richard Prattos, os dois principais vocalistas do Blue Magic, deixaram a banda por razões religiosas. Mesmo assim, o grupo voltou a gravar, mas sem o mesmo êxito da década de 1970. "It's Like Magic", "Land Of Make-Believe" e "Romeo And Juliet" foram algumas das músicas desta fase oitentista do Blue Magic.


Blue Magic - Soulful Spell - Best Of

01. Spell
02. Look Me Up
03. What's Come Over Me
04. Stop To Start
05. Sideshow
06. Welcome To The Club
07. Answer To My Prayer
08. Tear It Down
09. Three Ring Circus
10. Love Has Found Its Way To Me
11. Stringin' Me Along
12. Chasing Rainbows
13. Haunted (By Your Love)
14. The Loneliest House On The Block
15. Grateful
16. Freak-N-Stein
17. Teach Me (It's Something About Love)
18. I Waited
19. Land Of Make-Believe
20. Magic

Informações e Links por email - Aqui

Information and links via email -
Here

Shocking Blue

Shocking Blue

O Shocking Blue foi criado em 1967 pelo guitarrista Robbie Van Leeuwen, que fazia parte de uma banda de rock, The Motions. Eles são holandeses e o nome da banda foi inspirado por uma música de Eric Clapton chamada "Electric Blue". Em 1968 o vocalista era Fred de Wilde e foi substituído por Mariska Veres. A banda tinha como componentes:
Robbie Van Leeuwen (guitar, sitar)
Mariska Veres (lead vocal)
Klaasje Van Der Wal (bass)
Cornelis Van Der Beek (drums)
Eles combinaram elementos psicodélicos com o rock e blues em suas músicas. Muitos os conhecem por apenas o grande sucesso "Vênus", que foi a única música que ficou em primeiro lugar na Billboard americana e foi novamente número um da Billboard americana outras duas vezes: em 1981, na versão da banda Stars, e em 1986, interpretada pelo grupo feminino Bananarama. No final da década de 80, o Shocking Blue também serviu de inspiração para o Nirvana, que fez uma versão de "Love Buzz" em Bleach.
O Shocking Blue hoje em dia, infelizmente, é colocado na categoria dos chamados “one hit wonders”, ou seja, aqueles artistas de um sucesso só. Seu maior hit, a célebre “Venus”, é tão marcante que obscureceu tudo mais o que eles fizeram. Para outros, o Shocking Blue é aquele grupo que compôs “Love Buzz”, uma das primeiras gravações comerciais do Nirvana. Não interessa qual seja sua referência. O fato é que o quarteto holandês foi um dos melhores grupos de pop/rock do começo dos anos 70. Todo mundo conhece “Venus”, mas a história do grupo hoje em dia ainda é envolta em certo mistério.

O Shocking Blue foi criado em 1967 por Robbie Van Leeuwen, que há um tempo batalhava na cena beat holandesa. Também faziam parte o baterista Cor Van Beek, o baixista Klaassje van der Wal e o cantor Fred de Wilde. Em 1968, o grupo assinou com o selo Pink Elephant e lançou o single "Lucy Brown Is Back In Town", que fez um sucesso moderado.
Logo depois, o empresário foi a uma festa que estava sendo animada por uma banda chamada Bumble Bee, cuja cantora era uma beldade exótica chamada Mariska Veres. Não demorou muito para que os produtores do Shocking Blue a convidassem para substituir o cantor Fred de Wilde. Sua voz e visual lembravam Grace Slick (Jefferson Airplane), embora o Shocking Blue não tivesse muita coisa de acid rock em seu som. A chegada de Mariska trouxe novos elementos à banda, que juntava soul, R&B, country e até timbres de música oriental.
No final de 1969, a banda gravou a música que faria sua fama e fortuna. “Venus”, escrita por Robbie Van Leeuwen, trazia um refrão de violão inesquecível, sem dúvida inspirado na recente “Pinball Wizard”, do The Who. A voz rouca de Mariska confundiu muita gente, que não sabia se o vocal era de homem ou de mulher. A música chegou ao terceiro lugar da parada holandesa e foi sucesso nos quatro cantos do planeta.
E foi primeiro lugar também nos Estados Unidos, um fato importantíssimo, já que nenhum outro grupo europeu (exceto Inglaterra, é claro) tinha conseguido isso. Imediatamente, lançaram o álbum At Home, que continha “Venus” e “Love Buzz”, que anos mais tarde iria fazer a cabeça de Kurt Cobain.
O Shocking Blue seguiu lançando excelentes singles, que fizeram enorme sucesso na Holanda, no resto da Europa e Japão, como “Mighty Joe”, “Never Marry a Railroad Man”, "Hello Darkness”, “Shocking You”, “Long Lonesome Road”, “Blossom Lady” e “Inkpot”. Mas o quarteto nunca mais voltou a fazer sucesso nos Estados Unidos.
O começo dos anos 70 foram de incrível atividade para a banda, que excursionou por todo o Velho Continente, Japão, Indonésia e Hong Kong. Mas o cansaço tomou conta, e aos poucos ela foi se fragmentando. Em 1971, o baixista Klasssje pedia a conta. Dois anos depois, o líder e compositor Robbie Van Leeuwen abandonava o barco. Mariska continuou por algum tempo, até que, em 1974, o Shocking Blue já não existia mais.
Mariska lançou alguns discos solo, que infelizmente seguiam pela linha do europop brega e não condiziam com seu talento. Algumas curiosidades sobre a moça: pouca gente sabe, mas aquele cabelão todo era peruca. Ela era tímida e se sentia incomodada com a pecha de sex simbol. Não curtia o mundo de sexo e drogas e, até onde se sabe, nunca casou. A morena, arredia e anti-social, recentemente comentou numa entrevista: “Eu era apenas uma boneca pintada, ninguém podia me alcançar. Hoje em dia estou muito mais aberta às pessoas”.
Depois de anos na obscuridade, o pessoal do Shocking Blue voltou na metade dos anos 80 para alguns shows nostálgicos muito bem recebidos, onde até tocaram músicas do Jefferson Airplane.
A reunião com os membros originais não durou, mas Robbie Van Leeuwen permitiu que Mariska continuasse usando o nome Shocking Blue. Ela seguia na ativa, cantando “Venus” e outras pérolas da época.
O selo alemão Repertoire relançou todos os álbuns do Shocking Blue no formato dois em um, tendo também em seu catálogo algumas excelentes compilações. Imperdível mesmo é o DVD Hits Around The World, que saiu pelo selo holandês BR Music. O DVD tem clipes, aparições de TV e um documentário que registra a tour mundial no começo do anos 70, além de aparições solo de Mariska.
Mariska Veres, vocalista do Shocking Blue, faleceu no dia 02/12/06 de câncer, aos 59 anos.

Fonte: Rockpress


Shocking Blue - 1969 - At Home

01. Boll Weevil
02. I'll Write Your Name Through The Fire
03. Acka Raga
04. Love Machine
05. I'm A Woman
06. Venus
07. California Here I Come
08. Poor Boy
09. Long And Lonesome Road
10. Love Buzz
11. The Butterfly And I

Bonus Tracks
12. Harley Davidson
13. Fireball Of Love
14. Hot Sand
15. Wild Wind

Shocking Blue - 1970 - Scorpio's Dance

01. Scorpio's Dance (First Movement)
02. Alaska Country
03. Sally Was A Good Old Girl
04. Daemon Lover
05. Scorpio's Dance
06. Little Cooling Planet
07. I Love Voodoo Music
08. Seven Is A Number In Magic
09. Keep It if You Want It
10. Water Boy

Bonus tracks
11. Send Me A Postcard
12. Mighty Joe
13. Hello Darkness
14. Pickin' Tomatoes

Shocking Blue - 1971 - Third Album

01. Shocking you
02. Velvet heaven
03. Love sweet love
04. I saw your face
05. Simon Lee and the gang
06. Serenade
07. Don't you see
08. The bird of paradise
09. Moonlight night
10. Sleepless of midnight
11. I follow the new sun

Bonus tracks
12. Never marry a railroad man
13. Roll engine roll
14. Waterloo
15. Blossom lady
16. Is this a dream?
17. Poor boy, long version


Shocking Blue - 1971 - Inkpot + 1972 - Attila

Inkpot - 1971

01. I Ain't Never
02. Navajo tears
03. Shadows
04. Blue Jean
05. Jambalaya
06. Inkpot
07. Tobacco Road
08. Hey
09. Who save my soul
10. Red leaves I + II
11. The queen
12. I melt like butter

Attila - 1972

13. Rattler
14. Never release the one you love
15. A waste of time
16. Wait
17. The devil and the angel
18. Rock in the sea
19. I've spent my money
20. Will the circle be unbroken
21. Early in the morning
22. I built my world around you
23. Don't let your right know
24. Broken heart

Bonus tracks
25. Out of sight out of mind
26. I like you
27. Give my love to the sunrise
28. Eve and the apple
29. When I was a girl
30. Everything that's mine
31. I saw you in June


Shocking Blue - 1973 - Dream On Dreamer
Dream On Dreamer - 1973

01. Time slips away
02. Dowee dowee
03. So far from home
04. Take your time
05. A little bit of heaven
06. Now he's gone
07. Diana in her dreams
08. Just a song
09. In my time of dyin'
10. Wild rose
11. Save your love
12. Devil's suite

Good times - 1974

13. Good times
14. You'll come
15. My life
16. Morning sun
17. Loving girl
18. Beggin'
19. This America
20. Nashville rebel
21. Ball of confusion
22. Mississippi Delta
23. I won't be lonely long
24. Come my way

Bonus tracks
25. Dream on dreamer
26. Where the pick-nick was
27. Get it on

Shocking Blue - 1990 - 20 Greatest Hits

01. Venus
02. Mighty Joe
03. Never Marry A Railroad Man
04. Hello Darkness
05. Shocking You
06. Blossom Lady
07. Inkpot
08. Rock In The Sea
09. Send Me A Postcard
10. Long Lonesome Road
11. Out Of Sight Out Of Mind
12. Oh Lord
13. This America
14. Good Times
15. Gonna Sing Me A Song
16. Love Is In The Air
17. Lucy Brown Is Back In To
18. Eve And The Apple
19. Let Me Carry Your Bag
20. Dream On Dreamer

Shocking Blue - Best Of

01. Venus
02. Hot Sand
03. Deamon Lover
04. Never Release The One You Love
05. Blossom Lady
06. Shocking Yoe
07. Long Lonsome Road
08. Never Merry Railroad Man
09. Mighty Joe
10. California Here I Come
11. Inkpot
12. Time Slips Away
13. Out Sight Out Of Mind
14. Send Me A Postcard
15. Hello Darkness
16. Navajo Tears

Shocking Blue - 1997 - Singles A's & B's

Singles A's

01. Venus
02. Mighty Joe
03. Send Me A Postcard
04. Long And Lonesome Road
05. Never Marry A Railroad Man
06. Inkpot
07. Rock In The Sea
08. Dream On Dreamer
09. Hello Darkness
10. Shocking You
11. Sally Was A Good Old Girl
12. Blossom Lady
13. Out Of Sight
14. Eve & The Apple
15. Let Me Carry Your Bag
16. Oh Lord
17. This America
18. Good Times
19. Gonna Sing Me A Song
20. The Jury And The Judge
21. Body And Soul
22. Love Is In The Air
23. Lucy Brown Is Back In Town


Shocking Blue - 1997 - Singles B's

01. Roll Engine Roll
02. Pickin Tomatoes
03. Waterloo
04. Harley Davidson
05. Fireball Of Love
06. Hot Sand
07. Wild Wind
08. Keep It If You Want It
09. Give My Love To The Sunrise
10. I Saw You In June
11. Is This A Dream
12. I Like You
13. Broken Heart
14. When I Was A girl
15. In My Time Of Dyin
16. Everything Thats Mine
17. Where The Picknick Was
18. I Won't Be Lonely Long
19. Come My Way
20. Get It On
21. I Am Hanging On To Love
22. Angel
23. What You Gonna Do
24. Fix Your Hair Darling

Informações e Links por email - Aqui

Information and links via email -
Here